Imagine-se no futuro, se houvesse equipamentos médicos tão avançados que permitissem que uma cirurgia fosse realizada à distância? Ou que os resultados de um hemograma estivesses disponíveis online em poucos minutos?

Acredite, tudo isso já é realidade. Com o avanço tecnológico, equipamentos médicos que mais parecem saídos de projeções futuristas estão à disposição de médicos e pacientes. Conheça melhor alguns deles!

4 equipamentos médicos futuristas que já existem na área de saúde

1. Robô Da Vinci

Criado nos Estados Unidos em 2006, o Da Vinci é um robô portátil que auxilia médicos a realizarem procedimentos cirúrgicos delicados à distância, sem necessidade de abertura de tórax ou abdômen.

Os modelos mais modernos contam com quatro braços: um deles é utilizado como suporte para a câmera que orienta o profissional, enquanto os demais ficam livres para portar instrumentos cirúrgicos como pinças, bisturis e tesouras.

O procedimento cirúrgico é realizado a partir de uma mesa de controle e totalmente orientado pela câmera introduzida no corpo do paciente, que pode ampliar a imagem em até dez vez sem perder a nitidez ou percepção de profundidade.

Perfeito para cirurgias que necessitam de muito detalhamento, o equipamento médico é bastante seguro: o robô limita-se a reproduzir os movimentos feitos pelo cirurgião na mesa de controle no corpo do paciente e, se este parar ou afastar as mãos, o  Da Vinci também para de movimentar-se automaticamente.

A tecnologia já está presente no Brasil, em hospitais tanto da rede pública como da rede privada de saúde. Este é um dos equipamentos médicos que simplificam os procedimentos e ajudam a salvar vidas.

2. eLegs

Desenvolvido pela companhia norte-americana Berkeley Bionics, a prótese biônica batizada de eLegs é uma das mais avançadas já desenvolvidas e funciona como um exoesqueleto. Ela promete auxiliar pessoas com paraplegia a se locomoverem na vertical.

Dotado de inteligência artificial, o equipamento médico sai na frente quando comparado a outras próteses já disponíveis no mercado. Ele dobra melhor o joelho e permite a caminhada por terrenos irregulares.

Em fase de testes, o exoesqueleto responde a movimentos através de sensores e deverá ser destinado inicialmente a centros de reabilitação. O eLegs ainda ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a digestão dos pacientes com paraplegia. E as baterias permitem que ele funcione sem qualquer fio, oferecendo grande autonomia aos usuários.

3. Phoenix

Projetado pela empresa norte-americana Suit X, o exoesqueleto Phoenix é mais um dos equipamentos médicos que podemos chamar de revolucionário. Principalmente quando o assunto é mobilidade para pacientes paraplégicos.

Bem mais barato quando comparado a outros modelos já desenvolvidos — seu preço de mercado é de cerca de US$ 40 mil, enquanto produtos similares chegam a custar o dobro —, o Phoenix também chama atenção pela leveza.

Diferente de outros exoesqueletos, que costumam levar espécies de motores, também conhecidos como atuadores em cada junta, o Phoenix conta apenas com dois, nos quadris. E isso reduz consideravelmente seu peso total.

Outra grande vantagem do exoesqueleto é que seu design modular faz dele um equipamento médico totalmente personalizável: é possível adaptá-lo para utilização em pacientes de todos os pesos, alturas e comprimentos de pernas.

De tão leve e personalizável, o Phoenix pode ser colocado pelos pacientes até mesmo sem ajuda de terceiros, aumentando ainda mais sua autonomia. Em geral, é possível ajustar todo o equipamento em 15 minutos e caminhar por até 4 horas sem necessidade de recarga.

4. Hilab

Fabricado pela companhia de tecnologia Positivo e lançado pela empresa curitibana Hi Tecnologies, o Hilab é um dispositivo que funciona basicamente como um laboratório portátil.

Com apenas algumas gotas de sangue, que podem ser coletadas já no consultório médico, é possível receber em poucos minutos o resultado de exames como colesterol, glicemia, gravidez, hepatite, dengue e até HIV.

O sangue coletado é transformado em dados digitais e enviado, via computação em nuvem, para uma central de diagnósticos. Lá o laudo é emitido por médicos e o resultado enviado de volta imediatamente.

Se o Hilab estiver instalado no seu consultório, por exemplo, você poderá analisar o resultado no mesmo dia da consulta inicial e, se for o caso, prescrever o tratamento imediatamente.

Gostou de saber um pouco mais sobre equipamentos médicos futuristas que já são realidade na área de saúde? Para conhecer mais sobre essas e outras novidades relacionadas à profissão e atualizar seus conhecimentos, venha fazer uma pós-graduação médica no IEFAP!