No ano de 2019, médicos do Royal College of Physicians, de Londres, foram submetidos à primeira demonstração do mundo de um robô inteligente voltado à área médica e projetado pela startup Babylon Health. O objetivo dessa revolução na inteligência artificial na medicina era mostrar aos profissionais a capacidade do chatbot ao realizar um exame clínico em paciente. O resultado foi 10% a mais de precisão no exame realizado pelo robô em relação à pontuação média de médicos Clínicos Gerais dos últimos 5 anos.

Contudo, a polêmica provocada pela aplicação da inteligência artificial na medicina é anterior ao evento. Entre as dúvidas mais comuns relacionadas ao assunto, estão a capacidade da realização de diagnósticos e tratamentos, ou seja, substituindo os próprios médicos.

Afinal, os robôs poderão um dia substituir também profissionais médicos? Essa e outras respostas você vai encontrar a seguir. Continue a leitura para entender melhor o papel da inteligência artificial na medicina.

A inteligência artificial na medicina

A inteligência artificial é um campo da ciência da computação que visa reproduzir, de certa forma, a capacidade de raciocínio humano por meio de símbolos computacionais. As subáreas da medicina, assim como profissionais da saúde, foram impactadas pela maneira como os computadores podem processar dados em grandes volumes, contribuindo para a melhora na realização de diagnósticos e procedimentos médicos diversos.

Importância na área médica

Por mais veloz que seja a aprendizagem de máquinas, essa potencialidade não ocorreu do dia para a noite. Foram décadas de estudo e tentativas para a concepção de algoritmos, além do treinamento para seu manuseio e outras necessidades.

O termo inteligência artificial em medicina foi criado, em 1980, pelos pesquisadores Clancey e Shortliffe. Contudo, as primeiras pesquisar já aconteciam na década de 70, em grandes universidades americanas, como a MIT.

A inteligência artificial na medicina não é um interesse exclusivo do campo científico. Em 2018, a então primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, recomendou ao National Health Service, maior e mais antigo sistema público de saúde no mundo, e empresas tecnológicas que adotassem técnicas de inteligência artificial na medicina para diagnosticar doenças e outros tipos de procedimentos.

Dessa forma, a inteligência artificial na medicina já se tornou realidade em muitos lugares do mundo, demonstrando grande potencial de crescimento, principalmente no momento em que vivemos.

O futuro da inteligência artificial na medicina

Ainda que o futuro da inteligência artificial na medicina aparente ser brilhante e inovador, como podemos presenciar na nanotecnologia, alguns desafios ainda devem ser superados quando falamos sobre a tecnologia para médicos. Confira alguns deles.

Adaptação da estrutura

O governo brasileiro investiu, no ano de 2016, R$ 67 milhões em máquinas que aumentariam em até 10 vezes a capacidade de armazenamento dos dados do SUS (Sistema Único de Saúde) por meio do Big Data.

No entanto, o uso dos computadores nem sempre é possível devido à falta de estrutura do sistema público de saúde brasileiro. Segundo o Ministério da Saúde, menos da metade das unidades básicas de saúde do país utilizam o programa de registro de dados e informações de atendimento, ocasionando na desatualização do sistema.

Segurança de informações

Ao falarmos em Big Data, uma das preocupações recorrentes é relacionada ao vazamento de dados dos pacientes, caminhando na contramão dos preceitos éticos. Para que isso seja evitado, outros aparatos tecnológicos auxiliam na segurança das informações e proteção de dados, como o uso da criptografia em aparelhos de instituições de saúde.

Adaptação às práticas médicas

Entre os maiores desafios no cenário, está a adaptação dos sistemas de inteligência artificial na medicina às práticas clínicas por meio de instituições de diversos seguimentos da área da saúde.

Além da tecnologia, é preciso que a cultura organizacional das instituições também seja repensada. Colaboradores de diferentes setores, desde a recepção até salas cirúrgicas, precisam estar dispostos a aprender o manuseio dessas novas ferramentas em suas rotinas.

Medicina de precisão

A adoção da medicina de precisão também é algo a ser esperado para o futuro. Ela permite o uso de marcadores genéticos para indicar os melhores medicamentos e tratamentos para cada paciente, além de diminuir as chances do uso de drogas e da realização de intervenções que podem causar danos, ou mesmo não apresentar resultados ao indivíduo.

Afinal, os robôs vão substituir os médicos?

Sim e não. Com a inteligência artificial na medicina cada vez mais presente no dia a dia dos profissionais da saúde, poderemos presenciar médicos diferenciados, com habilidades diferentes e novas ferramentas capazes de expandir a capacidade cognitiva, elevando a qualidade de sua prática.

Com o paciente como centro de todo o processo, o impacto na saúde será ainda mais positivo, com experiências cuidadosamente trabalhadas para tornar diagnósticos, tratamentos e acompanhamentos mais eficazes.

O novo médico deverá prestar ainda mais atenção ao paciente, além de desafiar-se a acompanhar a evolução. O profissional, que deve sempre estar em constante atualização para manter seu exercício de qualidade, deverá esperar o mesmo em relação a este setor.

A atualização profissional por meio de cursos, especializações, e Pós-Graduações é essencial para que o médico acompanhe as melhorias que a tecnologia apresenta na área.

A melhor experiência do paciente, diante do atendimento especializado com apoio técnico de inteligência artificial, é capaz ainda de aproximar o médico de seus pacientes, aumentando seu canal de comunicação.

Você pôde conferir como a inteligência artificial na medicina é uma realidade empolgante que estará cada vez mais presente na vida do profissional. Manter-se atualizado em relação ao setor é uma forma de garantir vantagem no mercado de trabalho, apresentando grande potencial competitivo em relação aos outros médicos.

Gostou do artigo de hoje sobre os avanços da inteligência artificial em medicina? Conte para a gente nos comentários abaixo! Deseja saber ainda mais sobre a evolução de tecnológica na área médica? Então, veja se você está preparado para a telemedicina!

Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364

Tem dúvida? Fale conosco!