A Telemedicina chegou para ficar! Você médico está preparado?


Tendência muito utilizada em outros países, como Estados Unidos e Alemanha, a telemedicina nem sempre foi bem-vinda no Brasil. Contudo, no mês de março, teve seu uso autorizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em caráter excepcional. O motivo foi a progressão da pandemia de Covid-19 no país.

Reconheceu-se, então, a possibilidade do uso da teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta e a medida foi aprovada com o objetivo de incentivar o isolamento social e proteger a saúde de profissionais e pacientes. Continue a leitura para conhecer mais sobre essa prática cada vez mais em evidência nos dias de hoje!

O que é telemedicina?

A telemedicina pode ser definida como o uso de tecnologias da informação e comunicação como forma de viabilizar a oferta de serviços relacionados aos cuidados de saúde. A área oferece ao profissional suporte diagnóstico remotamente. Assim, permitindo emissão de laudos médicos à distância e diagnóstico.

De acordo com o CFM, a especialidade representa o exercício da medicina por meio de métodos interativos da comunicação audiovisual e de dados, com objetivo da pesquisa, assistência e educação em saúde.

Seu propósito é aperfeiçoar o atendimento e a saúde dos pacientes de maneiras que possibilitam a troca de informações, pareceres e opiniões à distância, além de atender e tratar de forma remota. Essa ferramenta ainda permite que serviços clínicos sejam levados a qualquer lugar, contribuindo com a ampliação do acesso ao atendimento.

O crescimento da telemedicina

Desde sua chegada no país, a pandemia causada pelo Novo Coronavírus tomou grandes proporções que resultaram na implantação de medidas de controle, como o isolamento social, prática que mudou hábitos da rotina da maior parte da população, incluindo de médicos.

O elevado número de pessoas em tratamento da Covid-19 nos hospitais e a concentração de cuidados com pessoas contaminadas, passou tornar inviável que pacientes com outros problemas de saúde fossem atendidos, como forma de segurança ou por falta de vagas.

Por motivos como esse, muitos têm recorrido a outras formas de tratamento, visto que grande parte dos brasileiros sofrem com doenças crônicas, alérgicas e crises respiratórias.

Nesse sentido, o atendimento médico presencial passou a ser controlado para o tratamento de pacientes com Covid-19 e atendimentos ambulatoriais foram reduzidos. Consequentemente, tornando necessário a consideração de outras formas de atendimento médico, como a telemedicina.

Experiência profissional ao paciente de forma remota

A prática leva conhecimento e experiência profissional ao paciente de forma remota, sem a necessidade do deslocamento. Durante o atendimento, o médico é responsável pela avaliação do indivíduo com perguntas que auxiliem em sua anamnese. Assim, decidindo se o atendimento presencial é necessário.

São diversos os hospitais, consultórios e planos de saúde que atualmente trabalham com atendimento remoto, motivo que leva médicos e profissionais da área a buscarem atualizações sobre o assunto.

Por meio de plataformas, os serviços contratados podem acessar informações, exames, históricos, laudos e outros. Após a experiência e crescimento em meio a pandemia do Novo Coronavírus, acredita-se que não haverá espaço para retrocesso na telemedicina.

Vantagens

Ainda que utilize tecnologia de ponta, a telemedicina é uma prática simples, que permite inúmeras vantagens não só para profissionais, mas também para pacientes. Acompanhe.

Armazenamento on-line

A telemedicina garante que dados de laudos, testes e diagnósticos sejam arquivados em espaços seguros por meio de plataformas e portais na internet. Dessa forma, documentos médicos são protegidos de ações do tempo e danos causados pelo manuseio incorreto. A possibilidade de arquivamento na internet elimina a necessidade de locais físicos, dispensando também alguns gastos.

Redução de custos

A telemedicina atribui economia em papel, espaço físico, armazenamento e outros materiais e itens. Além disso, pode substituir alguns especialistas na interpretação de exames. Dessa forma, eliminando também gastos na folha de pagamento e abrindo campos para especialistas.

Prescrições digitais

Na consulta à distância, o médico deverá gerar a prescrição de medicamentos em uma plataforma, utilizando computador ou mesmo celular, assiná-la com seu certificado digital e enviá-la para o paciente, ou responsável, por e-mail, SMS ou mesmo aplicativos de mensagens.

<<<Acesse ferramenta a ferramenta do Conselho Federal de Medicina (CFM), o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) e o Conselho Federal de Farmácia (CFF), que é importante para que os médicos brasileiros possam, com segurança, no âmbito do atendimento por Telemedicina, emitir atestados ou receitas médicas em meio eletrônico.

Após esse procedimento do médico, o paciente deverá transmiti-la à farmácia ou apresentá-la em tela, sem que haja a necessidade do documento no modo físico. O farmacêutico, então, deverá receber e conferir o arquivo da prescrição, preencher os itens fornecidos, assinar e registrar o ato da dispensação que será arquivada, para informar o validador nacional.

Humanizando o atendimento na telemedicina

Apesar de sua distância, a telemedicina, assim como o atendimento presencial, deve ser um ato humanizado, visando a melhor forma de atender o paciente. Confira algumas dicas que podem ser úteis para que isso aconteça, ajudando na fidelização de seus pacientes.

Prevenção da saúde

A praticidade da telemedicina permite que o médico receba resultados de exames de forma rápida, podendo acompanhar em tempo real sinais vitais ao utilizar tecnologias que contribuem para o monitoramento inteligente. Dessa forma, a prevenção da saúde torna-se ainda mais efetiva.

Atendimento em tempo ideal

A telemedicina torna as consultas ainda mais íntimas para os pacientes, visto que o médico pode ir até sua casa virtualmente. Contudo, é preciso ter atenção aos horários marcados, permitindo que o paciente se sinta à vontade para conversar sem que o profissional o apresse por conta do tempo.

É fundamental organizar as consultas pelo tempo médio gasto entre pacientes habituais, primeiras consultas, e retornos, com o objetivo de manter intervalos entre elas para que o profissional não se atrase no momento de atender o próximo paciente.

Comunicação digital personalizada

Uma das principais características do atendimento humanizado é a personalização. O mesmo se aplica na telemedicina quando o profissional entrega uma experiência única para seu paciente, seja no atendimento ou mesmo pós-consulta.

Assertividade nos diagnósticos

A telemedicina é uma forma de unir diferentes profissionais da área da saúde de forma rápida. Dessa forma, a assertividade nos diagnósticos é mais precisa, visto que especialistas podem se unir na entrega de um tratamento adequado e integrado para pacientes.

Está preparado para continuar a atualizar-se nas novidades médicas? Então, confira os diversos cursos que vão de aperfeiçoamento à especialização do IEFAP!


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364

Tem dúvida? Fale conosco!