Tecnologia na medicina: como ela pode ajudar?


A tecnologia na medicina veio para ficar, isso é incontestável. São impressões em 3D, a prática do ultrassom, cirurgias robóticas e muitas outras, que têm mudando a prática da medicina atual em todo o mundo.

Praticamente, de todos os ramos profissionais da ciência, a medicina é o setor que mais tem se revolucionado na com a tecnologia na medicina.

Por isso, neste artigo, veremos como a tecnologia na medicina tem a ajudado e contribuído formas de diagnóstico e tratamento. Não perca!

Impactos da tecnologia na medicina

As últimas décadas se caracterizaram pelos grandes avanços alcançados no mundo da ciência. No entanto, a fim de destacar como a tecnologia na medicina tem sido importante, mostraremos alguns exemplos da tecnologia em medicina que já estão em uso.

Nanotecnologia

A nanotecnologia médica vem revolucionando todo o século século XX e XXI. Já se conhece a nanotecnologia como o estudo das estruturas demasiadamente pequenas e minúsculas. Ou seja,  toda baseada no controle dos átomos e das moléculas de forma individual — fazendo com que essas micropartículas ou as nanopartículas sejam muito interessantes.

Além disso, há quem diga que a revolução da nanotecnologia é a medicina do futuro, que vem avançando no tratamento de doenças como:

  • câncer;
  • doenças neurodegenerativas;
  • doenças autoimunes;
  • problemas de origem cardiovascular.

>>>Leia também:

Nanotecnologia na medicina: o que é e quais suas aplicações

Por exemplo, umas das terapias que vem chamando mais a atenção é as que empregam nanopartículas para transportarem medicamentos de forma controlada. Isto é, esse procedimento já demonstrou que, se aplicado, ajuda na estabilidade e na distribuição necessária ao corpo ou àquela parte do corpo.

Tecnologia 3D

Outro lugar onde a tecnologia na medicina tem sido bastante explorada, é dado pelo exemplo dessa inter relação em benefício de pacientes, na robótica e impressão 3D. Já podem ser considerados como exemplos de desenvolvimentos tecnológicos integrados em atividades cirúrgicas e de rotina dos principais hospitais no mundo.

A tecnologia ajuda a medicina na aplicação 3D praticamente em todas as fases do processo de atendimento. E não se limitam à abordagens de diagnóstico ou terapêutica, mas vem representando uma importante ferramenta de comunicação, tanto entre os profissionais da saúde quanto nas relações de médico e paciente.

Com a impressão 3D, por exemplo, pode-se conhecer com maior precisão:

  • casos a serem tratados;
  • projetar guias cirúrgicos;
  • implantes personalizados;
  • elementos descartáveis ​​fabricados a partir das imagens pré-operatórias;
  • planejar abordagens;
  • testar a intervenção repetindo com os modelos impressos.

Assim, com todos estes mesmos passos, podem ser tranquilamente realizados durante uma operação. E isso tudo implica em uma melhora considerável na precisão e também na economia de tempo cirúrgico, reduzindo o percentual de complicações operatórias.

Outra vantagem da tecnologia na medicina é sobre a acessibilidade remota. Significa que os equipamentos médicos em áreas de difícil acesso, por exemplo, em equipes que se encontram longínquas, precisam alcançar essas áreas, um dos problemas que enfrentam é o transporte de instrumentos e equipamentos.

Impressoras 3D

Com a utilização, por exemplo, das impressoras 3D, elas podem ser um grande recurso, pois evitariam a necessidade de estoques. Assim, se um médico precisa de uma ferramenta específica, ele fará várias cópias de uma peça, podendo imprimi-las em um mesmo dia. Isso acaba democratizando o acesso aos instrumentos, tornando possível ajudar, de forma econômica e eficaz, populações isoladas.

Por exemplo, em um processo clínico, primeiro se compilaria a imagem do diagnóstico de dados, com a tomografia computadorizada, transformando-os em um arquivo 3D, e com as peças impressas para serem usadas guiando o cirurgião, garantindo que implantes possam ser colocados em posições corretas.

Materiais cirúrgicos personalizados

Nas cirurgias, a maioria das operações devem ser preparadas e adaptadas para casos particulares do paciente. E, muitas vezes, os cirurgiões precisam de ferramentas personalizadas e específicas.

Em razão disso, a fabricação desses utensílios custa certo tempo e isso se torna complicado com os meios tradicionais existentes. Estas questões são muito importantes no campo de aplicação, pois visam reduzir a liberdade de ação do cirurgião durante um processo operatório. Se o médico ou hospital tivesse a sua própria impressora 3D, eles poderiam acessar um serviço de impressão, e terem esses instrumentos preparados em apenas um dia.

Outra questão, é que pacientes que precisam tomar um grande número de fármacos, às vezes de cinco a seis remédios de cada vez, tem de enfrentar certos problemas, pois tais remédios podem não ser tão eficazes simultaneamente. Mas, graças a um algoritmo que incorpora informações do paciente, tais como peso, funções renais e hepáticas, é possível ajustar a dose do fármaco de forma personalizada e converte-los em dados imprimíveis, em 3D.

Tratamentos mais eficazes

Assim, tratamentos com esse, poderiam ser mais eficazes do que com os tradicionais. Sabe-se que a fabricação de medicamentos em grandes quantidades pode não ser muito adequada para todos os pacientes. E isso faz com que a administração farmacológica seja um dos campos que mais exigem avanços urgentes na medicina.

Além disso, onde a tecnologia ajuda a medicina, até hospitais poderiam passar a fabricar seus próprios medicamentos sob demanda, eliminando a necessidade de armazenar grandes quantidades de fórmulas genéricas. E, medicamentos específicos para cada paciente poderiam ser fabricados no local, reduzindo os tempos de espera e salvando vidas em situações de emergência.

Tecnologia para detalhes anatômicos dos pacientes

Essas novidades não são tão distantes, pois atualmente, os médicos usam imagens 3D para compreender os detalhes anatômicos de seus pacientes. São com tecnologias como essa que existe a possibilidade de criar arquivos 3D baseados em ressonância magnética ou tomografia computadorizada, permitindo que cirurgiões possam criar órgãos de aparência muito real para implementar em suas operações.

Planejar uma cirurgia é muito importante em procedimentos que exigem o envolvimento de órgãos complexos, como o cérebro, por exemplo. Outro elemento importante é sobre a dificuldade no tratamento de câncer. E, com a possibilidade de testar o tratamento em células extraídas do próprio tumor, poderia ajudar a evitar fases repetidas e cansativas para o paciente, aumentando a eficácia e a velocidade do tratamento.

Procedimentos com pele e tecidos

O chamado “bioprinting” é esse procedimento que foca no desenvolvimento tecnológico da pele e de tecidos vivos impressos em 3D. Hoje, esses dois caminhos estão sendo muito explorados. na verdade, já existe a possibilidade de imprimir uma pele em 3D, diretamente no corpo humano. Isso para casos de pacientes que sofreram queimaduras e precisam da reconstrução da pele.

Mesmo que ainda a cirurgia necessite de longos períodos de tempo para ser mais eficaz e bem sucedida, pois envolve a retirada de partes da pele de outros lugares, este procedimento vem sendo de vital importância.

>>> Leia também:
Imagenologia: a importância do exame de imagem para o diagnóstico
Conheça os principais apps para médicos
Conheça 4 equipamentos médicos futurísticos que já existem

Próteses personalizadas

Hoje, cada paciente pode usufruir de um dos campos em que mais se avança e é onde vemos como a tecnologia ajuda a medicina. Com a fabricação de próteses personalizadas, têm-se obtido para muitos casos específicos, seja em próteses dentárias, para válvulas coronárias, reconstrução de partes motoras, reconstrução de crânios etc.

Ultrassom

Outra tecnologia na medicina que tem obtido um progresso significativo é a ultrassonografia. Por exemplo, está em pleno desenvolvimento, o uso de ultrassom para diagnóstico de meningite em pacientes de risco como crianças. Trata-se de uma ferramenta não invasiva, e o ultrassom, que pode ser inofensivo para a criança, possui alta resolução, alcançando resultados muito positivos.

Outro uso do ultra-som também está sendo provada a sua eficácia para a doença de Parkinson e na neurologia em geral. O ultra-som é bem mais seguro porque, ao contrário das outras técnicas disponíveis, não requer uma intervenção para realizá-lo sendo, portanto, um tratamento com menor risco.

Cirurgia robótica

A utilização de robôs permitiram a realização de cirurgias que são mais longas e complexas e com abordagens menos invasivas. Os benefícios deste novo sistema cirúrgico, podemos citar:

  • uma visão tridimensional mais real;
  • aumento da imagem de alta definição;
  • possibilidade de simulação;
  • entre outros.

Atualmente, em todo o mundo, existem centenas de robôs instalados, uma tecnologia robótica que já deu início à sua jornada para o reparo de órgãos, tratamento cirúrgico de câncer, etc., em diversas salas de operação, com uso do laser, os chamados nano-robôs de ponta. São detectores nanotecnológicos para ataques cardíacos, chips alojados na corrente sanguínea, nano-sensores que combatem bactérias, para anestesiologia, alívio para câncer, nano-nefrologia,

Uma nova era a ser aplicada

A formação tecnológica dos profissionais de saúde e o trabalho em equipe multidisciplinar são essenciais para o avanço na aplicação onde a tecnologia ajuda a medicina. Pelo mesmo motivo, é necessário estar mais atento e dar a devida importância da pesquisa, valorizando essa contribuição para a sociedade como um todo.

Essas notícias ainda causam uma certo desconforto nas expectativas depositadas na tecnologia na medicina, em razão de ela não estar tão acessível ainda ou países em desenvolvimento não fazerem uso dela. O importante é que testemunhamos essa evolução da tecnologia na medicina e o surgimento de novas possibilidades que possam ser oferecidas e aplicadas a qualquer serviço médico, sejam hospitais, clínicas ou institutos de pesquisa.

Se a medicina e a tecnologia agora (ou sempre) andaram/andam de mãos dadas, a sua aplicação é essencial.

Se você gostou do conteúdo de hoje sobre a tecnologia na medicina, vai gostar deste também com o tema “Os robôs vão substituir os médicos? Inteligência Artificial na Medicina”! 

Quer fazer um Curso de Pós-Graduação em Medicina pela IEFAP e ficar por dentro de todas as novidades onde a tecnologia ajuda a medicina? Matricule-se já!


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364

Tem dúvida? Fale conosco!