A importância da orientação ao paciente após a infecção pela Covid-19


Com a chegada do coronavírus, muitas pessoas se preocuparam com as complicações respiratórias que o vírus poderia causar. Porém, esse não é o único motivo de cautela. Isso porque, de acordo com pesquisas, cerca de 16% dos pacientes que foram infectados pelo vírus e já se recuperaram da infecção, apresentaram complicações cardiovasculares.

Nos acompanhe na leitura e entenda a importância de orientar os seus pacientes após o contágio pelo coronavírus.

 

Por que os pacientes que tiveram COVID-19 devem ser orientados após a infecção?

 

Por se tratar de uma doença nova, ainda se sabe muito pouco sobre como o coronavírus se comporta e os efeitos da COVID-19 no organismo. Porém, especialistas alertam sobre complicações cardiovasculares importantes que afetaram diversos pacientes que foram infectados pelo vírus.

Exames de ressonância magnética cardíaca apresentaram achados anormais, detectados cerca de 60 dias após o diagnóstico da doença no paciente. Também foram identificadas alterações nos níveis de troponina, marcador que participa do processo de contração muscular no músculo esquelético cardíaco, e que pode indicar infarto agudo do miocárdio. Esses achados foram identificados em sua maioria em pacientes que apresentaram apenas sintomas leves. O que leva especialistas a crerem que essas alterações podem levar a um aumento do risco de morte súbita.

A principal orientação a ser dada a todos os pacientes que foram infectados pelo novo coronavírus, é a de procurar atendimento junto a um cardiologista. Essa prática deve ser seguida, principalmente se o mesmo deseja realizar algum tipo de atividade física. O retorno a prática de exercícios físicos deve ser feito mediante a liberação do médico cardiologista, e a retomada deve ser feita de forma progressiva.

É importante respeitar o tempo de recuperação do organismo, por isso a atividade física deve ser feita de forma equilibrada. Mesmo com os achados recentes, é importante reforçar os benefícios da prática de atividades físicas para a saúde do coração.

Isso porque a prática de atividade física promove a redução da pressão arterial, dos níveis de lipídios, glicemia, e promove o melhoramento da saúde como um todo. Desde que a prática ocorra de forma moderada e com o devido acompanhamento médico. Além disso, a prática de atividade física de forma regular proporciona maior efetividade do sistema imunológico. O resultado disso é a maior proteção contra infecções causadas por vírus e bactérias, e consequentemente menores complicações.

Você pode oferecer um atendimento mais especializado aos seus pacientes recuperados da Covid-19, se tiver conhecimento específico na área de cardiologia.

Esse conhecimento pode ser adquirido através da realização de uma Pós-Graduação em Cardiologia ministrado pela UNINGÁ em convênio com o IEFAP.

Com essa Pós-Graduação você terá os conhecimentos mais atualizados sobre as doenças do coração, assim como poderá aproveitar as oportunidades que essa especialidade oferece aos profissionais da medicina. Além do conhecimento adquirido, que lhe trará muitas vantagens, você prestará atendimentos na área e futuramente pode tornar-se um especialista em cardiologia, após aprovação na prova de títulos.

Quer saber mais sobre essa Pós-Graduação? Clique aqui e fale com um de nossos consultores pelo whatsapp (44) 98813-1364.

 

Nos vemos no próximo conteúdo!


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação







    Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho, 5570 - Ed. São Bento Sala 1002

    Maringá - PR

    contato@iefap.com.br

    (44) 3346-3500

    (44) 9 8813.1364

    Tem dúvida? Fale conosco!