Nanotecnologia na medicina: o que é e quais suas aplicações


A nanotecnologia é mais um avanço tecnológico na medicina para auxiliar na melhora do diagnóstico e histórico do paciente, além de monitorar os parâmetros biológicos e fazer intervenções menos invasivas no corpo humano.

Por seu elevado investimento para implantação, necessidade de readequação e infraestrutura, seu acesso ainda é limitado. Dessa maneira, essa tecnologia ainda tem vasto potencial para exploração, assim como profissionais a serem capacitados e pesquisas para serem viabilizadas.

Continue a leitura para entender o que é a nanotecnologia na medicina e quais são suas aplicações!

O que é nanotecnologia na medicina?

A nanotecnologia é uma área multidisciplinar das ciências aplicadas que lida com design e manuseio de componentes e sistemas extremamente pequenos. Esse segmento inovador utiliza materiais manipulados em nível molecular e atômico e, a partir deles, são desenvolvidas partículas, microprocessadores e outras ferramentas para aplicação em diversos setores.

Nesse sentido, podemos concluir que a nanotecnologia é uma evolução dos propósitos médicos. Assim, sendo possível avaliar suas vantagens e desvantagens ao longo da implantação. Quando usada para o melhoramento da prática clínica, a nanotecnologia recebe o nome de nanomedicina, com atuação em campo diagnóstico, terapêutico e avaliação de tratamento preconizado.

A técnica ainda abre novos caminhos para protótipos existentes, dessa forma, é possível criar dispositivos de acordo com a demanda clínica, baseados em conhecimentos científicos, recursos financeiros disponíveis e desempenho dos profissionais da medicina que vão atuar em parceria com engenheiros e físicos.

Quais são seus benefícios?

O benefícios da nanotecnologia na medicina abrange inúmeras vertentes da área de saúde, como melhoria na qualidade de exames de imagem e melhor localização das doenças no organismo do paciente. Além delas, podemos citar também:

  • aumento da sensibilidade nos diagnósticos, permitindo a detecção de doenças em estágio inicial e aprimorando análises de amostras sanguíneas;
  • possibilidade de cirurgias menos invasivas, agindo diretamente no órgão e células defeituosas;
  • entrega efetiva de medicamentos em regiões específicas do organismo;
  • aumento na eficiência das terapias e redução da necessidade de consumo de medicamentos.

Quais são suas aplicações?

A aplicação da nanotecnologia na medicina permite melhorar a detecção precoce de doenças, a forma de desenvolver terapias personalizadas, realizar um prognóstico mais preciso, entre outros pontos. Veja a seguir, as principais pesquisas que estão em andamento com a aplicação da nanotecnologia.

Otimização de equipamentos médicos

Equipamentos da área médica são tecnologias usadas para detectar anormalidades fisiológicas, prevendo extensões de doenças ou discriminação de particularidades não visualizadas em ferramentas tradicionais.

Uma das aplicações da nanotecnologia na medicina é sua atuação em equipamentos médicos, com a inserção de nanopartículas de prata e óxido de zinco que, por sua propriedade antibacteriana, podem prevenir infecções após os procedimentos. Essas situações evitam novas comorbidades que poderiam aumentar o período de internação e prognóstico limitado em uma condição clínica grave do paciente.

Tratamento eficiente em órgão-alvo

A introdução de medicamentos no organismo por via oral ou parenteral passa por processos farmacocinéticos que podem ser distribuídos para outras estruturas que não sejam os órgãos-alvos do tratamento.

Situações como essa podem desencadear efeitos adversos significativos, entre eles, danos em órgãos como rins. Assim, consequentemente, comprometendo processos de metabolização e excreção do medicamento.

A aplicação da nanotecnologia na medicina também permite fabricar partículas terapêuticas que tenham afinidade com as células do órgão-alvo. Assim, diminuindo processos de distribuição de medicamentos em outros órgãos.

Melhora na detecção de doenças complexas

O diagnóstico médico é complexo e envolve a interpretação das queixas apresentadas pelo paciente, achados significativos em exames clínicos, radiológicos, de imagem e a integração dessas informações.

Muitos equipamentos não apresentam a sensibilidade e especificidade para diferenciar doenças que apresentam clínica semelhante, motivo que pode ser um risco para os envolvidos. Por esse motivo, a aplicação da nanotecnologia na medicina para diferenciação é fundamental para evitar erros.

Além disso, algumas pesquisas envolvendo a técnica avançaram na caracterização de doenças complexas, como distúrbios cerebrais e câncer. Nas neoplasias, pesquisadores conseguiram desenvolver nanotubos capazes de serem inseridos nas células cancerígenas.

O método apresenta grande relevância para a área oncológica, visto que, a quimioterapia e radioterapia realizadas sem a inserção dos tubos extermina células cancerígenas e também saudáveis. Já com a inserção dos nanotubos nas células específicas é possível minimizar o processo.

Inovação na medicina preventiva

A nanotecnologia na medicina tem como um dos principais propósitos elaborar protótipos idênticos aos encontrados nos sistemas fisiológicos. Atualmente, nanorobôs já são fabricados em microescalas para interagir com sistemas biológicos e reverterem situações complexas no organismo, como infecções sanguíneas.

Um exemplo deles são os nanorobôs configurados para serem idênticos aos linfócitos, que flutuam na corrente sanguínea. Dessa maneira, a programação para identificar um microrganismo, capturá-lo e eliminá-lo se torna possível.

Outras aplicações da nanotecnologia na medicina preventiva acontecem pela forma de tecidos, órgãos artificiais e tecnologias sensoriais, podendo aumentar a eficácia no sequenciamento genético e facilitar a detecção de enfermidades de maneira precoce.

Vimos que a nanotecnologia na medicina é uma forma de revolução da área com aplicações diagnósticas, terapêuticas e no tratamento de doenças clínicas. Entretanto, a nanotecnologia ainda precisa de estudo e profissionais especializados e atualizados na área para garantir uma atuação excelente.

Gostou deste conteúdo sobre as aplicações da nanotecnologia na Medicina? Então, que tal aprofundar ainda mais o seus conhecimentos em um dos nossos cursos de Pós-Graduação em Medicina?


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364

Tem dúvida? Fale conosco!