Medicina nas Redes Sociais: o que o médico pode ou não fazer nessas mídias


Cada vez mais pessoas têm utilizado as redes sociais como referencial para a contratação de produtos e serviços, e na medicina isso não é diferente. A medicina nas redes sociais é uma realidade cada vez mais crescente.

Atualmente, o meio web tem representado grande parte do número de pacientes que chegam até os consultórios. Muitos desses pacientes utilizam as mídias sociais para encontrar profissionais da saúde de acordo com suas necessidades.

Com base nesse cenário, é importante que os médicos estejam atentos quanto ao seu posicionamento nessas redes. E, sobretudo, o que é ou não permitido fazer nas redes sociais. E é exatamente sobre esse assunto que falaremos ao longo desse texto, nos acompanhe na leitura!

A importância do posicionamento da medicina nas redes sociais

Quando falamos em posicionamento da medicina nas redes sociais, com o intuito de atrair e converter em novos pacientes, pode soar estranho. Isso, porque esse segmento não é associado a um mercado de negócios.

Mas a verdade é que, assim como em qualquer outro tipo de negócio, há sim a necessidade de se atentar a aspectos simples como visibilidade, atendimento, atração e conversão de novos pacientes.

É importante para o médico ter em mente que o correto posicionamento da medicina nas redes sociais, respeitando os preceitos de ética e conduta profissional estabelecidos pelo CFM, são essenciais para que o seu trabalho obtenha um destaque positivo e alcance cada vez mais pessoas.

O médico pode desenvolver uma imagem na web, através de perfis do seu consultório, ou clínica, em mídias sociais, sites e blogs. Esse movimento garante que o mesmo esteja mais acessível ao seu “público alvo” e até mesmo se torne referência

Como desenvolver um posicionamento positivo e responsivo da medicina nas redes sociais

O segmento da saúde requer uma maior atenção no momento de produzir conteúdo para uso na web. Algumas diretrizes estabelecidas pelo CFM, no próprio código de ética e conduta da categoria, já estabelecem que algumas práticas devem ser adotadas e outras evitadas.

Por isso, é muito importante que o objetivo do profissional, consultório ou clínica esteja alinhado com as diretrizes do CFM.

O que o médico pode fazer nas redes sociais

– A comunicação médica deve utilizar-se sempre dos dados técnicos de registro do profissional da saúde em questão. O número do CRM, assim como o nome do médico, deve estar devidamente exibido em todo e qualquer material utilizado para divulgação nas mídias sociais e meios web.

– É vedado o uso de termos que possam ter conotação sensacionalista ou de autopromoção, sempre utilizando de fatos cientificamente comprovados, afinal a ciência é o que respalda toda a atuação na área da saúde.

– Ainda dentro do conceito de ética para profissionais da saúde, no desenvolvimento de conteúdos, sejam eles textos, vídeos, banners entre outros, é proibido o uso de linguagem pejorativa, como por exemplo o melhor médico, ou o médico mais eficiente, e pior ainda, dar garantias de resultados como a cura, por exemplo.

– Também não é permitido o uso de imagens de pacientes para promover o serviço prestado, tais como imagens de antes e depois, e nem depoimentos de pacientes recomendando o serviço médico.

– Para obter engajamento nas mídias sociais utilizadas, é importante disponibilizar conteúdos relevantes, de fontes seguras e confiáveis, com o objetivo de estabelecer uma comunicação com o público alvo, garantindo maior atração aos seus perfis.

– Faça a postagem de conteúdos com certa regularidade. Isso é essencial para garantir que o público que já foi atraído, para o seu perfil se mantenha engajado. Para atrair novas pessoas, além disso, é importante também estabelecer uma boa interação com o público, sempre respondendo as dúvidas, sugestões e até mesmo críticas expostas em relação ao conteúdo / perfil.

– Em relação a interação, estabeleça meios para que seu público alvo interaja com você. Deixe disponível caixas de perguntas, faça quiz, toda iniciativa é válida para estabelecer maior conexão com o seu público alvo. E isso pode ser feito através da geração de conteúdo de valor, que vai sanar muitas dúvidas da sua audiência nas redes sociais.

Escolha a mídia social correta de acordo com seu público

Ao desenvolver uma estratégia de posicionamento médico nas mídias sociais, é importante também avaliar em quais são as mídias que valem a pena dedicar esforços.  As principais mídias utilizadas para o setor atualmente são o Facebook, Instagram, Twitter e Youtube.

Avalie em qual delas o seu público alvo está concentrado, e mantenha os perfis sempre atualizados e com conteúdo relevante em todas elas.  O segredo é direcionar os esforços para as mídias sociais que concentrem a maior parte do seu público-alvo.

Esperamos que tenha gostado das nossas dicas, e caso precise de apoio para desenvolver uma estratégia de marketing médico entre em contato conosco, teremos grande prazer em apoiá-lo!

Para melhorar seu conhecimento, inscreva-se já numa Pós-Graduação do IEFAP. São diversas especialidades disponíveis, com aulas presenciais mensais e aos finais de semana. Veja também as opções de cursos presenciais com aulas online ao vivo.


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364

Tem dúvida? Fale conosco!