Estresse na área da saúde: como melhorar o trabalho?


O trabalho é importante para a saúde mental. No entanto, um ambiente de trabalho pesado e negativo pode causar problemas, tanto físicos como psíquicos. Entre eles, a depressão e a ansiedade vem ganhando destaque na baixa produtividade e rendimento nos últimos anos. O estresse na área da saúde acomete milhares de pessoas no mundo, com efeitos de depressão, transtorno principal para a incapacidade laboral.

Muitos profissionais da saúde abandonam seus postos de trabalho para cuidar do seu bem-estar. Não obstante, em ambientes laborais adversos alguns problemas podem ser recorrentes, como o consumo de substâncias, álcool, perda na produtividade, distração entre outros.

Os riscos relacionados com o estresse na área da saúde

Existem muitos fatores do ambiente laboral que afetam a saúde mental. Na grande maioria dos casos, esses riscos têm a ver com processos comportamentais e como o profissional se relaciona com a equipe de trabalho.

Alguns destes riscos do estresse na área da saúde podem ser:

  • políticas inadequadas de segurança e proteção da saúde do profissional;
  • práticas não eficientes de gestão e/ou comunicação;
  • ausência de poder de decisão de quem trabalha e falta de controle da sua produtividade;
  • carga de trabalho elevada;
  • abuso psicológico e moral, intimidação no trabalho (mobbing).

Estas são algumas das causas mais frequentes do estresse na área da saúde, que podem ocasionar problemas físicos e psicológicos. Estes efeitos na saúde deixam consequências tanto para as empresas, quanto para o trabalhador, afetando negativamente as interações familiares e sociais. Tais riscos podem ser maiores nas situações em que a equipe não tem características de coesão.

Como prevenir e criar um ambiente saudável de trabalho

Entre os aspectos mais importantes para que o ambiente de trabalho possa ser um espaço saudável a formulação e aplicação de regras, leis e estratégias administrativas se destaca. Em um lugar de trabalho saudável, essas ações contribuem ativamente para a melhora do ambiente e dos profissionais promovendo e protegendo a saúde, segurança e bem-estar.

Como forma de prevenir o estresse na área da saúde, a aplicação de normas podem detectar de antemão, o estresse patológico, doenças e transtornos, o consumo nocivo de substâncias, etc. Para facilitar estes benefícios e recursos, é importante:

  • informação adequada para os profissionais
  • meios para que possam pedir ajuda;
  • promoção da participação e acesso às decisões;
  • oferta de programas de contribuição etc.

Todas estas intervenções, no que diz respeito ao estresse devem formar parte de estratégias integradas da saúde e do bem-estar, abarcando a prevenção, detecção preventiva etc.

O estresse na área da saúde é um fenômeno cada vez mais frequente, que vem aumentando em toda a sociedade, pelo fato que as novas rotinas e relações de trabalho vão se alterando nas últimas décadas. O estresse afeta diretamente o bem-estar físico e psicológico do profissional e tende a deteriorar-se dentro do clima trabalho.

Hoje em dia, com a relevância da sociedade da informação em todos os processos de produção, o esforço mental que antes necessitava de trabalho braçal, vai exigindo cada vez mais qualidade. O ritmo de trabalho exige um esforço redobrado de atenção. As equipes passaram a contar com um número menor de profissionais e maior cobrança por resultados.

As pessoas precisam de níveis moderados de estresse para responder de forma satisfatória às expectativas. Quando esses níveis passam a estar muito acima do saudável e por um longo período, isso pode ocasionar em problemas sérios de saúde.

Consequências do estresse laboral

Estresse alto e por período pode ocarionar em alterações e desordens físicas em resposta inadequada do organismo frente aos agentes estressantes como as que veremos a seguir.

Alterações físicas

  • problemas gastrointestinais;
  • cardiovasculares;
  • respiratórios;
  • endócrinos e hormonais;
  • dermatológicos;
  • musculares;
  • alterações do sistema imunológico

Alterações psíquicas

  • preocupação excessiva e ansiedade;
  • incapacidade de tomar decisões
  • estados de confusão mental;
  • desconcentração;
  • deficit de atenção;
  • sensação de desorientação;
  • falta de memória;
  • bloqueios e paralisias mentais;
  • hipersensibilidade às críticas;
  • mau-humor;
  • consumo abusivo de entorpecentes.

A continuidade destes efeitos do estresse na área da saúde podem provocar o desenvolvimento de sérios transtornos psicológicos no futuro. Entre os transtornos mais frequentes estão:

  • transtornos de ansiedade crônica;
  • insônia;
  • fobias;
  • vícios, dependência química e compulsões;
  • depressão;
  • transtornos de personalidade;
  • esquizofrenia;
  • síndromes de Burnout.

Vimos que a origem do estresse na área da saúde pode ser múltipla, mas as medidas preventivas para eliminar ou reduzi-lo também são variadas. Com o conhecimento de profissionais e pessoas ligadas às áreas de psicoterapia, através de diferentes técnicas, pode-se dotar no profissional da saúde, recursos valiosos de tratamento.

Tratando a síndrome de Burnout

São muitas horas junto ao sofrimento e dor do paciente, intermediário entre paciente, médico e família, sempre ouvindo críticas e exigências de todos, pouco reconhecimento, é o que se encontra um profissional da saúde hoje em dia.

>>> Para saber mais: “4 dicas para aproveitar o domingo e aliviar o estresse” e “Como reduzir o estresse sem sair da cadeira

A síndrome de Bournout  ataca diretamente os profissionais da saúde pelo estado emocional que é acompanhado pela sobrecarga de estresse da profissão. Essa síndrome, também chamada de “síndrome de esgotamento por estresse” se caracteriza por esse esgotamento, somático, de sentimentos de alienação, perda motivacional, fracasso etc.

Além destes sintomas, o profissional pode ainda experimentar:

  • manifestações emocionais, como atitudes, sentimentos e pensamentos obsessivos;
  • despersonalização;
  • redução da autoestima e da sua capacidade pessoal;
  • auto-desqualificação;
  • problemas de sociabilidade;
  • debilidade;
  • impaciência e intolerância;
  • hostilidade e nervosismo.

Os profissionais de saúde sofrem muito com o estresse ocupacional. Tal profissional pode gerir o estresse benéfico e prevenir problemas. A consulta regular com um psicólogo é essencial para esses casos.

Estas tensões experimentadas pelos profissionais da saúde devem ser acompanhadas pelo psicólogo, a fim de evitar que o ambiente laboral se torne mais inadequado. Algumas pequenas mudanças já irão ajudar a prevenir e amenizar os sintomas:

  • delegação de funções;
  • estabelecimento de limites no trabalho;
  • fazer exercícios regulares;
  • respirar conscientemente;
  • adotar práticas de meditação;

Aumentar a consciência e o controle de alguns dos processos internos farão que a tensão muscular e a pressão mental sejam melhor equilibradas. No entanto, ressaltamos a importância da consulta regular com um psicólogo para tratar e prevenir transtornos mentais aos quais os profissionais da área da saúde estão expostos.

Achou interessante este texto sobre o estresse na área da saúde? Então você poderá saber mais se inscrevendo em nosso curso da IEFAP sobre saúde!


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364