Doenças psicossomáticas: o que são e como atuam


As relações que existem entre as funções da mente e do corpo hoje são cada vez mais estudadas e reconhecidas pela ciência. Da mesma forma que as doenças físicas acabam influenciando o humor das pessoas, causando medo, estresse ou preocupação, muitos dos problemas psicológicos também causam sintomas físicos. Neste artigo abordaremos o que são as doenças psicossomáticas e como elas atuam.

Assim, essa relação que seria direta entre o corpo e a mente, na antiguidade já era conhecida, em disciplinas milenares como o Yoga e o Tai Chi. No entanto, com a aplicação técnica e prática da psicologia e da psiquiatria, hoje se trabalha por um melhor entendimento entre as funções corporais e psicológicas.

É possível adoecer quando não ocorre um equilíbrio entre mente e corpo? O que seria, então, essas doenças psicossomáticas?

O que são doenças psicossomáticas?

São chamadas doenças psicossomáticas quando transtornos psiquiátricos como depressão, ansiedade ou outro distúrbio, se manifestam na forma de sintomas físicos, às vezes, aparentemente não relacionados entre si.

Em termos gerais, o termo “doenças psicossomáticas” pode também ser entendido quando a pessoa sofre de somatização (quando ocorre um ou mais sintomas físicos) em conjunto com algum estado de depressão, estresse ou ansiedade crônica. 

As doenças psicossomáticas têm como origem profundos estados de crises de estresse emocional ou padrões de pensamento negativos. É comum que o sistema imunológico fique comprometido devido ao estresse. 

Um grande equívoco popular que costuma ocorrer é o de que doenças psicossomáticas são do tipo “imaginárias” ou que “tudo não passa do produto da mente”. Na verdade, os sintomas físicos das doenças psicossomáticas são muito reais e devem ser tratados rapidamente, da mesma forma como acontece com qualquer outra doença. 

Devido ao difícil diagnóstico das doenças psicossomáticas, é comum que alguns médicos se concentrem quase exclusivamente nos sintomas físicos, e que pode deixar de lado a verdadeira causa do problema. Por isso, é normal encontrar pessoas que se queixam de terem visitado vários médicos sem encontrar nada.

>>> Para saber mais: 

A arteterapia no tratamento de doenças psicossomáticas
Neuroendocrinologia e depressão: o que elas têm em comum?

Existe uma explicação biológica para as doenças psicossomáticas?

Sim, existe! De acordo com estudos realizados, os próprios transtornos psicossomáticos podem ser considerados como transtornos físicos. Isso porque as emoções exerceriam sobre o corpo um papel central: por esta razão o termo que se originou do grego, psyche (mente) + soma (corpo).

As doenças psicossomáticas refletem perturbações que causam danos em glândulas hormonais. Com isso, a pessoa acometida por uma somatização pode sentir dores como nevralgias, úlceras pépticas, alta pressão sanguínea, etc.. E isso dá origem a outras doenças cardíacas, baixando a imunidade, rupturas na homeostasia corporal, e muitas outras doenças.

Tudo isso significa que a pessoa pode refletir que, em algum dado momento, não pôde lidar bem com algum evento ou situação de vida. Como resultado, o estresse demasiado sobrecarregou o organismo e ele não conseguiu responder de forma adequada.

Segundo os médicos, o estado de adoecimento é composto por quatro fases. Confira.

Tensão Emocional

Que pode ser psicológica, com sentimentos de abandono, de culpa, inferioridade ou tristeza; ela pode ser fisiológica, com quadros de disfunções motoras, vômitos, diarreia, hipertensão arterial, enxaquecas; e social, caracterizado por atitudes comportamentais de isolamento, menos vontade de fazer coisas, procrastinação, etc.

Distúrbio Funcional

Definida pelas mesmas alterações da anterior, mas com maior intensidade. Ela pode ser percebida sem muitas alterações visíveis nos exames laboratoriais, porém, já está presente neles.

Alteração Celular

Aqui já se manifesta visivelmente com alguns comprometimentos do equilíbrio celular, ocorrendo portanto, as alterações em exames laboratoriais.

Doença Anatômica

Neste estágio a pessoa pode já sentir a presença de doenças inflamatórias crônicas, como as auto-imunes, necróticas, tumorais, com possíveis complicações de tipo infecciosas e hemorrágicas.

Na verdade, cada pessoa possui uma predisposição específica, e responderá da diferentes formas, às doenças psicossomáticas e aos tratamentos. Muitos dos fatores que dão origem a doenças psicossomáticas podem ser influenciados e até determinados pela hereditariedade, porém, outros fatores podem ser determinantes como o meio ambiente.

Existe tratamento para as doenças psicossomáticas?

A medicina psiquiátrica geralmente trata pacientes com doenças psicossomáticas com fármacos na administração de ansiolíticos ou, dependendo de cada caso, são tratados sob orientação de psicólogos.

Infelizmente, muitas das pessoas que sofrem com essas doenças psicossomáticas não entendem o que acontece com elas e relutam em procurar um psicólogo ou psiquiatra.

Por esta razão, antes de chegar a ter uma dor física ou desconforto frequente, a primeira coisa que a pessoa deve fazer é buscar entender a causa de seu problema. Isso pode ser feito mediante uma visita normal a um psiquiatra. No entanto, a saúde não é o silêncio do corpo, e nem todos os sintomas são o resultado de uma doença física.

Tanto a ansiedade, estresse e depressão agem sobre diferentes hormônios, causando alterações físicas, tornando o paciente mais suscetível a doenças. Por exemplo, se o sistema nervoso for afetado, isso pode resultar em dores de cabeça, tonturas, desmaios, formigamento, paralisia muscular, etc.

Pelo sistema circulatório, são produzidas palpitações e taquicardias e pelo sistema respiratório, pode causar asfixia, dor ou aperto no peito etc. 

Assim, é possível melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem de doenças psicossomáticas quando se entende qual a causa para os desconfortos físicos. Vale lembrar que elas são simplesmente um reflexo do desequilíbrio entre corpo e mente, que reduz as defesas a agentes externos e deixando o organismo mais vulnerável ​​a ataques. 

Gostou deste post sobre doenças psicossomáticas? Se você quer conhecer mais sobre este e outros tipos de tratamentos, invista em um curso para seu futuro! A IEFAP oferece conhecimento com um corpo docente altamente qualificado e infraestrutura completa. Inscreva-se agora mesmo no curso de Pós-Graduação em Psiquiatria do IEFAP!


Fale Conosco

Iefap - Conheça nossos cursos de Pós-Graduação








Av. Advogado Horácio Raccanello Filho, 5620

Maringá - PR

iefap.cursos@iefap.com.br

(44) 3123-6000

(44) 9 8813.1364